Guia de harmonização de queijos e vinhos: regras básicas e dicas

0
11

[ad_1]

Se separados já fazem sucesso, juntos criam experiências repletas de sabores e aromas. A afinidade entre o vinho e o queijo possui uma longa jornada. A duplinha nasce de um uso camponês, ganha espaço em restaurantes e vira preocupação entre enólogos e entusiastas. Isso porque compartilham uma linguagem em generalidade: a harmonização de queijos e vinhos. Acompanhe o guia aquém e aprimore suas habilidades!

Regras básicas para harmonizar queijos e vinhos

Assim porquê o tempo melhora um vinho, também melhora os queijos de maturação longa. Cada um com sua particularidade, sabor e fragrância. Cabe a você encontrar a combinação perfeita e gerar harmonizações divinas ao paladar. Para isso, considere as regras básicas:

  • Intensidade: queijos leves e suaves combinam com vinhos frescos. Queijos intensos pedem vinhos encorpados.
  • Texto de gordura: queijos gordurosos combinam com vinhos secos. Os menos gordurosos combinam com vinhos frutados.
  • Semelhança: queijos e vinhos com características semelhantes formam uma boa dupla, por exemplo, queijo macio e vinho branco.
  • Contraste: queijos salgados harmonizam com vinhos mais ácidos, de sobremesa e fortificados.
  • Região de origem: geralmente, a região que produz queijo também produz vinho. Escolha produtos do mesmo estado ou cidade, pois compartilham características complementares.

 

Um parecer importante para iniciantes: experimente! Faça combinações, aguce seu paladar e não tenha susto de errar. Com o tempo, você desenvolverá suas habilidades e conhecerá suas preferências.

 

Vinho ideal para cada tipo de queijo

Receiteria

Há diversos tipos de queijos: frescos, macios, média tratamento, subida tratamento e azuis. Do mesmo modo, há uma grande variedade de vinhos: tintos, brancos, suaves, secos etc. Uma harmonização bem-sucedida pede atenção às nuances de sabores. Observe as dicas aquém.

Queijos frescos

Os queijos frescos não passam pelo processo de maturação. São exemplos dessa categoria: mussarela italiana, queijo minas, mascarpone, feta e burrata. Leves e prontos para serem consumidos logo posteriormente a fabricação, eles combinam com vinhos ligeiro e frutados.

Os vinhos brancos e jovens harmonizam perfeitamente com os queijos frescos. Escolha rótulos das uvas Sauvignon Blanc, Abariño e Chardonnay. Para quem gosta de rosé, dê preferência aos rótulos mais delicados, sem exagerar na acidez. Um espumante brut também é bem-vindo.

Queijos macios

Os queijos macios possuem sabores mais acentuados que os frescos, por isso pedem vinhos com aromas marcantes, que trazem peso ao paladar. Estão nessa categoria: brie, camembert, coulommiers e edam.

A dica é apostar em vinhos com notas terrosas. A uva Pinot Noir é ideal para ocasiões elegantes. Para quem gosta de vinhos tintos: Cabernet Franc, Gamay e Beaujolais, que são frutados e com baixa fardo tânica. Aos apreciadores de vinho branco: Chenin Blanc e Sauvignon Blanc.

 

Queijos de média tratamento

Os queijos de média tratamento passam por um processo moderado de maturação. Geralmente possuem sabor levemente adocicado. Os mais populares são: gruyère, gouda, emmental, manchego e comté.

Para quem gosta de vinho tinto, a dica é apostar nos frutados de tanino médio: Dolcetto, Barbera e Merlot. Rosés e espumantes demi-sec também possuem afinidade com esses queijos. No time dos vinhos brancos, estão os rótulos: Grüner, Torrontés e Veltliner.

 

Queijos de subida tratamento

Os famosos queijos duros passam por um longo período de maturação, ganhando textura firme e sabor acentuado. Entre eles, estão: parmesão, grana padano, pecorino, provolone e parmegiano reggiano.

A harmonização perfeita pede vinhos estruturados, com sabores complexos, e rótulos envelhecidos. Pode apostar em uma boa estrutura tânica. Opções clássicas são: Chianti, Barolo, Malbec, Syra e Barbaresco.

 

Queijos azuis

Sabores intensos e picantes marcam os queijos azuis. Com um bolor característico, gorgonzola, roquefort e stilton possuem odor potente e textura úmida. Para trazer estabilidade à harmonização, a dica é apostar no contraste.

Vinhos doces e brotizados equilibram a intensidade dos queijos azuis. Experimente Sauternes, Vinho do Porto, Riesling, Gewürztraminer. Se quer ousar, aposte em vinhos envelhecidos com acidez controlada. Um espumante com subida fardo aromática, porquê o Prosecco, também faz sucesso.

A verdade é que quando você começa a harmonizar, não quer mais parar. Há muitos sabores, possibilidades e descobertas culinárias. Antes de transfixar sua garrafa de vinho e montar uma tábua de queijos, confira o próximo tópico.

Uma vez que servir: vinhos e queijos

Receiteria

Vinhos e queijos combinam com diversas situações: jantar romântico, formal, casual e celebrações. No inverno, trazem aconchego para a mesa. A primeira dica é considerar a quantidade de pessoas. Se o queijo for a estrela da degustação, considere tapume de 150 a 200 gramas por pessoa. Se ele for o petisco, 100 gramas. Também calcule uma garrafa de vinho para cada duas pessoas.

Em uma tábua, o ideal é dividir os queijos por categorias, oferecendo frescos, macios, média tratamento, subida tratamento e azuis. Você pode fazer uma degustação por etapas: queijos brancos e macios com vinho branco; queijos de média tratamento com vinho frutado; queijos de subida tratamento com vinho envelhecido e muito encorpado; queijos azuis com vinho rebuçado.

Também é verosímil fazer uma degustação genérica. Escolha dois vinhos que não sejam muito contrastantes com os queijos – nem ligeiro, nem fresco e nem encorpado. Uma boa opção é combinar um vinho branco de estirpe e um tinto de tanino médio. Para petiscos e entradinhas, uma degustação focada é a mais prática. Escolha um tipo de queijo e um rótulo de vinho.

Se você já sabe qual vinho servirá, escolha os queijos para combinar com a sua seleção. A ordem da degustação segue a intensidade de sabores – do suave ao acentuado. Na tábua, acrescente pães, embutidos, geleias, frutas frescas e secas.

Outra opção é utilizar queijos especiais para incrementar suas receitas. Assim, o prato será a estrela da mesa e a harmonização com o vinho ficará mais fácil. Você pode servir exclusivamente um rótulo ou seguir um estilo.

A harmonização de queijos e vinho é a arte de explorar sabores. Use as dicas porquê um setentrião, mas não tenha receio de soltar a originalidade, responsabilizar no seu paladar e testar suas próprias combinações. Agora, é só montar uma tábua de queijos, transfixar uma garrafa de vinho e harmonizar.

[ad_2]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui